1344937.large

Ao celebrar seus 40 anos o arquiteto Matthias Hollwich entrou em crise. Segundo estatísticas ele já havia vivido 50% de sua vida e era preciso se preparar para a metade que estava por vir. Para lidar com esta nova fase, o alemão começou a estudar o envelhecimento e o que a sociedade e arquitetura tinham a oferecer. O resultado? Um livro batizado de “New Aging – live smarter to live better forever”, um guia com dicas para você viver de forma mais inteligente e, consequentemente, viver melhor e por mais tempo.
Diferentemente do que encontramos por aí, porém, Matthias foi além das dicas de comportamento e saúde e incluiu também soluções práticas e imprescindíveis para que a sua casa te ajude a envelhecer melhor. Veja algumas dicas para transformar sua casa no lugar ideal para envelhecer:
Contrate um arquiteto para fazer um check-up na sua casa – Isso mesmo, Matthias Hollwich afirma que, da mesma forma que vamos ao médico checar se nossa saúde está em dia, devíamos trazer o arquiteto, periodicamente, para ver se a estrutura da nossa casa está saudável e quais as adaptações precisam ser feitas para que ela continue servindo bem as nossas necessidades. Tudo para garantir que o lar nos mantenha independentes e seguros.
Faça da sua casa um lar – Intuitivamente entende-se que ambientes bem planejados são capazes de acolher melhor seus moradores e estimular relações mais afetuosas, espalhando energias positivas pela casa. Tecnicamente, recomenda-se ter janelas que garantam a entrada da luz natural e se cercar de materiais naturais como madeira e pedra para criar uma atmosfera mais agradável e aconchegante.
Menos é mais – 55 m² por morador – esse é o espaço que o arquiteto julga ser uma boa base para ser ter um lar prático e confortável, mais do que isso, talvez seja exagero. Cada metro quadrado da nossa casa exige dinheiro e esforço para ser mantido, assim é importante parar agora e olhar sua casa de forma estratégica, só assim você consegue evitar que ambientes se tornem fardos no futuro.
Compartilhe áreas – Você não precisa ter uma piscina para tomar sol nos dias de verão. Substituir um jardim por uma praça, por exemplo, não só diminui os custos de manutenção de uma casa, mas também estimula o convívio social – o que ajuda você a envelhecer melhor. A dica é, ao se mudar ou antes de fazer uma grande reforma, mapeie o entorno e veja o que você já tem disponível com até 10 minutos de caminhada.
Facilite o acesso – Desde a parte externa até a interna, uma casa ou apartamento ideal para envelhecer precisa ser fácil de acessar. Pense no caminho que você faz para chegar à sua casa. Há uma rota clara? Espaço para estacionar? Um atalho para deixar as compras de supermercado rapidamente na cozinha? A ideia é tornar estes trajetos diários mais simples para que sua rotina seja mais fácil no futuro.
Tenha o controle – Ter uma casa perfeita para envelhecer também tem a ver com ter um lar prático e econômico. Duas qualidades que são mais fáceis de conquistar quando se tem pleno conhecimento do que acontece na sua casa. Por isso, ter um sistema integrado, no qual você pode controlar o funcionamento da luz, do ar e de todos os eletrodomésticos da casa é uma das recomendações para os futuros idosos – que já terão muito mais prática com gadgets e aplicativos.
Invista em corrimões – Com o tempo é preciso investir mais em tornar cada ambiente da casa o mais seguro possível  – e um corrimão é um dos itens mais básicos para isso. A ideia é tentar tratá-los como um recurso estético, que esteja o integrado à decoração, mas sem deixar de facilitar seu deslocamento na casa, quando mobilidade e equilíbrio começarem a ser um problema.
Nivele o piso – Sabe aquele pequeno degrau entre um ambiente e outro que sempre causa tropeços? Ou aquele tapete no qual a visita vive escorregando? Livre-se deles e nivele o piso o máximo possível, antes que cair e tropeçar se torne realmente um problema para você.
Tenha um quarto para visitantes – Conviver com amigos e familiares é uma das coisas mais importantes da vida – por isso, apesar de incentivar apartamentos menores e sem exageros, o autor recomenda ainda que tenhamos um quarto de hóspedes. O cômodo incentiva a convivência e ainda pode servir como um quarto para um cuidador ou enfermeiro, caso você precise de um.
Fonte: Casa Vogue