Adiar decisões pode custar caro

 

Diante de uma dificuldade, nem sempre é fácil decidir o que fazer. E na dúvida, às vezes, a gente não faz nada. Mas quando o assunto é dinheiro, adiar decisões pode ser um péssimo negócio. Imagine uma pessoa que perde o emprego, ou se aposenta e passa a receber a metade do que ganhava. Ela sabe que precisa cortar gastos, mas vai adiando a decisão. Em poucos meses essa pessoa, provavelmente, não vai conseguir pagar as contas. E acabará ficando endividada.

É muito comum não prestar atenção naquelas contas que pingam todo mês, como assinaturas de jornais e revistas, ou a TV por assinatura. Você conhece alguém que possui 100 canais de TV, mas só assiste cinco ou seis canais? E telefone fixo? A gente até esquece que ele existe, mas a conta não deixa de chegar. Nem falar então da academia de ginástica que é paga, mas não é frequentada. Isso tudo significa desperdício de dinheiro. Na hora que esses gastos são somados, a conta acaba ficando alta.

Por isso, a dica é não deixar para o próximo mês. Faça uma lista de tudo o que você contrata, e veja se você utiliza 100% dos serviços. Se descobrir que não usa, entre em contato com a empresa. Cancele ou negocie uma redução. Às vezes, a simples troca do provedor do serviço já traz uma boa economia. No exemplo da academia, a regra é básica: frequentar ou cancelar. O mesmo vale para a anuidade do cartão de crédito. De que adianta ter dois ou três cartões se você só usa um? E pagar tarifa para manter mais de uma conta corrente, será que vale a pena?

Fonte: Meu Bolso em Dia